Tarte do Tempo Maravilha

«(…) quando, de repente, um Coelho Branco com olhos cor-de-rosa apareceu a correr ao lado dela. Não havia nada de muito extraordinário nisso; nem sequer Alice pensou que fosse assim tão estranho ouvir o Coelho dizer para consigo: “Meu Deus, meu Deus! Vou chegar atrasadíssimo!” (só mais tarde, ao pensar nisso, é que se lembrou de que devia ter estranhado o que vira, pois, na altura, tudo lhe pareceu natural); mas, quando o Coelho tirou mesmo o relógio da algibeira do colete, viu as horas e continuou o seu caminho todo apressado, então é que Alice se pôs de pé num salto, pois de repente passou-lhe pela cabeça a ideia de que nunca tinha visto um Coelho de colete, com um relógio de algibeira.»

Lewis Carroll (1865) Alice no País das Maravilhas. Linda-a-Velha, Abril/Controljornal. 2000: 7.

Continuar a ler

Anúncios