Tortilha desmanchada para Meursault

«Chama-se Raimundo Sintès. É baixo, com uns ombros largos e um nariz de pugilista. Anda sempre vestido correctamente. Também ele diz, ao falar do Salamano: “É uma pena!” Perguntou-me se aquilo não me incomodava e eu respondi-lhe que não.

Subimos e eu ia deixá-lo, quando me disse: “Tenho lá em casa vinho e chouriço. Não quer vir petiscá-lo comigo?”

Pensei que isso me evitaria ter de fazer o jantar e aceitei.» 

Camus, Albert. O Estrangeiro. Lisboa: Edição Livros do Brasil. Trad. António Quadros. Obra orig. publ. em 1942 (83)

Continuar a ler

Anúncios